29 de setembro de 2009

E então, me exonerei

Um sentimento estranho de tristeza e de alívio. Tristeza pela consciência do pouco que consegui fazer. Alívio por não suportar mais. Eu me exonerei do cargo de professor efetivo de História do Estado de São Paulo. Na verdade, bem antes do esperado, bem tarde do desejado. Fui até o limite físico e emocional... não dava mais. Não conseguia ser bom nem no Estado, nem na Prefeitura, nem no mestrado, pai pela metade, marido pela metade...

Quando assinava minha exoneração pensei: coisas que foram duramente conquistadas, para serem perdidas bastam poucos segundos... Batalha-se para cursar uma universidade pública. Luta-se para sair bem dela. E, após recebido a melhor formação possível, sente-se estimulado a devolver à sociedade tudo que recebeu mediante dinheiro público. Preparado, passa nas primeiras posições do concurso. Feliz, estimulado, cheio de ideias e de ideais, certo de que pode fazer a diferença... Então, é lançado nas piores condições possíveis de trabalho, em um ambiente onde a mediocridade prolifera e nada funciona. Luta, leva no peito, enfrenta. O que há de jovem não se entrega facilmente. Mas aí, passam-se dias, meses, anos... resultado? Vem o desânimo, o cansaço, a sensação de inutilidade, a perda da saúde e a pergunda: afinal, sou professor? NÃO. SOU APENAS UMA MÃO-DE-OBRA BARATA SUBAPROVEITADA.

Não quero ser professor herói. Quero apenas ser professor. E em 5 anos trabalhando na rede estatual paulista pouquíssimas vezes me senti professor. Na verdade, nem me lembro quando.

22 de julho de 2009

Momentos inspiradores

Os vendedores de balas e chocolates nos ônibus de São Paulo sempre foram um exemplo de determinação para mim. Determinados? Que isso! Determinados são aquelas pessoas bem sucedidas, que prosperam em sua vida profissional. Talvez... Mas muito deles são profissionais, pois fazem muito bem isso. Eu gosto de observar uma pessoa fazendo alguma coisa bem feita.
Os vendedores de ônibus são como os professores. Eles falam e a maioria dos passageiros não escutam, nem olham para eles.
Então, na próxima vez que eu entrar na 6a série, farei assim:
"Senhores alunos: um minuto de sua atenção!
Desculpe-me por atrapalhar a brindadeira de vocês.
Eu poderia estar roubando, eu poderia estar matando, mas estou aqui para falar sobre feudalismo.
Muito obrigado e tenham todos uma boa viagem [ops] aula.

10 de maio de 2009

Gripe suína e a crise internacional

Imagem: http://oferrao.atarde.com.br/?p=412

Hoje um amigo me disse algo muito interessante.
Não é estranho que a tal gripe suína apareceu justamente neste contexto de crise internacional?
Talvez ela surgiu não pela culpa dos simpáticos porquinhos mexicanos, mas por uma ação premeditada.
Veja bem. Nada melhor que uma doença nova e contagiosa para retirar laboratórios da crise e fazer as ações da indústria farmacêutica e dos agregados a ela irem às alturas! Por que não utilizar um panicozinho para aumentar as vendas?
Bem, se tratando do mundo moderno, quanto mais absurdamente pensarmos mais próximo da verdade estaremos.

1 de março de 2009

Caterina nasceu !!!


Foi no dia 24 de fevereiro. Nasceu pesando 3,485 Kg e 49 cm. Ela é muito linda e delicada. Estamos todos muito felizes aqui em casa.

6 de fevereiro de 2009

Castelo do deputado

Que boa notícia!
Agora ninguém mais precisa ir até a Europa para apreciar a arquitetura de um castelo e os seus mecanismos de defesa! Basta dar uma passadinha em São João Nepomuceno - MG (400 Km de São Paulo) e conhecer o castelo do deputado Edmar Moreira (DEM). Como é bom termos um deputado que gosta tanto da Idade Média a ponto de destinar todo o seu suado salário (humm...) na construção de um castelo. Certamente, ele pensou nos pobres professores de História que jamais poderão passar uma semana na França para ver de perto todas aquelas maravilhas.
Obrigado deputado!

5 de fevereiro de 2009

Marli voando por aí...


Depois de receber o prêmio Microsoft Educadores Inovadores em Hong Kong como o Projeto Voo BPF, a professora Marli e seus alunos visitam lugares importantes na trajetória de Santos Dumont no Brasil. A viagem está em curso e pode ser acompanhada pelo blog Voo Inovador, criado pela TV Cultura. A professora Marli se destaca no grupo Blogs Educativos. Fico muito contente por esse reconhecimento. As boas idéias precisam de asas para voar por aí espalhando sementes, mudando mentes, ambientes...

Veja também!
Santos Dumont e o espaço aéreo brasileiro

29 de janeiro de 2009

TV Cultura e minha formação

Eu cresci assistindo Bambalalão e na minha pré-adolescência adorava o Revistinha. Hoje, sou historiador não tanto por influências de professores que tive, mas pelos documentários sobre as culturas de diferentes povos e pelos programas com temáticas históricas que sempre vi na TV Cultura. Lembro-me do Tribunal da História, do Jornal da História, do Arqueologia, de diversos Especiais e dos fantásticos programas de entrevistas. Tudo despertava tanto encanto em mim, que a minha decisão em fazer História foi muito segura.
Aliás, a TV Cultura foi muito importante para que eu entrasse em uma Universidade pública. Assisti o Vestibulando por três anos seguidos e tenho todas as aulas anotadas com detalhes!!! Loucura, né? Mas, sempre estudei em escola pública e não tinha dinheiro para pagar um cursinho pré-vestibular. Nem me fez falta, graças ao Vestibulando.
Já na USP, fiquei emocionado sendo aluno da professora Maria Aparecida de Aquino que apresentou o Anos de Chumbo (não perdia um). No final de uma aula comentei com a professora Aquino que eu tinha sido um dos seus telealunos e não imaginava que um dia poudesse ser aluno dela de verdade. Ela, simpática como sempre, me respondeu de forma muito modesta, virtude dos grandes mestres: "Você ser meu aluno não tem tanta importância. O que importa é que você estuda História".
Hoje a TV Cultura ainda atua em minha formação e é muito bom ver os meus filhos Francesco (3 anos) e o Bernardo (1 anos) se divertindo e aprendendo tantas coisas com a programação infantil.
Com grande satisfação atendo prontamente ao pedido de Aline Cerri da assessoria de imprensa da TV Cultura para divulgar aqui o programa Nossa Língua, o que para mim é uma honra e não um favor.